O TCL reclama a liderança nacional no tráfego de contentores de import-export, com base nos dados da AMT. Fazendo o mesmo exercício à escala ibérica, o terminal de Leixões surge no terceiro lugar entre os portos da Península.

Leixões - TCL

Nos primeiros quatro meses do ano, passaram pelo terminal de contentores de Leixões 216 653 TEU. Longe dos mais de 435 mil TEU contados em Sines.

No seu relatório sobre a performance dos portos, a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) sublinha, porém, que no Terminal XXI os movimentos de transhipment representam 79% do total, contra 6,9% em Leixões (e 8% em Lisboa).

O TCL fez as contas e concluiu que, considerando apenas o tráfego de import-export (e nacional, em particular com as Ilhas), a liderança é sua, com mais de 210 mil TEU movimentados até Abril, contra os 91 mil TEU de Sines e os 111 mil TEU de Lisboa.

Atrás de Valência e Barcelona

O TRANSPORTES & NEGÓCIOS fez o mesmo exercício para o total dos portos da Península e concluiu que Leixões ocupa o terceiro lugar no ranking ibérico, na movimentação de contentores de import-export e nacional.

Melhores que o porto nortenho, no acumulado de Janeiro e Abril, só o porto de Valência, com 716 mil TEU, e o de Barcelona, com 576 mil TEU.

Atrás de Leixões situam-se, de acordo com os dados estatísticos da Puertos del Estado, os portos de Bilbau (184 mil TEU), Las Palmas (158 mil), Santa Cruz de Tenerife (117 mil) e Algeciras (116 mil).

 

Comments are closed.