A implantação de tecnologias já disponíveis pode permitir a descarbonização quase total do transporte marítimo no ano de 2035, de acordo com um relatório divulgado  pelo Fórum Internacional dos Transportes (ITF, em inglês) organização intergovernamental que agrega os 59 países-membros da OCDE.

Calcula a entidade que as emissões de CO2 poderiam ser reduzidas entre 82% e 95%.O documento da ITF considera que uma parte importante das emissões poderia ser reduzida através de combustíveis alternativos e energias renováveis.

Isso aumenta, segundo o relatório, a importância de medidas tecnológicas que permitam melhorar a eficiência energética dos navios, bem como a adopção de melhorias operacionais, como a redução da velocidade de navegação, uma melhor coordenação entre navios e portos ou o uso de embarcações de maiores dimensões.

O documento solicita também a intervenção dos estados para “acelerar a viabilidade comercial e técnica de certas medidas”. A ITF advoga, nesse sentido, a criação de “várias políticas ou regulamentos”, entre as quais “metas mais rigorosas de eficiência energética, limites de velocidade e um combustível padrão com baixas emissões de carbono”.

O relatório destaca ainda a importância de serem adoptados incentivos financeiros que promovam esse salto em direcção a menos emissões no transporte marítimo.

 

Comments are closed.