O terminal ferroviário de Alfarelos, operado pela TMIP, está agora capaz de operar comboios de mercadorias de 750 metros de comprimento sem necessidade de manobras adicionais, confirmou ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS Júlio Tomás, líder da empresa.

tmip

A necessidade de reduzir a dependência de um nicho de mercado (onde era, e ainda é, especialista) ditou, “há meia dúzia de anos”, a aposta da TMIP na multimodalidade.

“Um milhão de euros” depois, investidos “sem qualquer apoio e apenas com recursos próprios”, sublinha Júlio Tomás, o terminal de Alfarelos está apto a movimentar “qualquer tipo de carga”, garante.

As duas linhas de 75o metros de comprimento são, claro está, a “jóia da Coroa” da plataforma. Com elas, a TMIP pode “receber e carregar/descarregar comboios completos de até cerca de 750 metros sem qualquer recurso a movimentos adicionais de manobras ferroviárias por parte do operador”. E com isso, destaca Júlio Tomás, ganha-se em “eficiência e rapidez na recepção e expedição de comboios e na consequente transferência de cargas com os camiões”.

O plano de investimentos na transformação do terminal de Alfarelos compreendeu também o alargamento da área de parque operacional até aos “80 mil metros quadrados”, com isso permitindo disponibilizar mais espaço para a realização de operações acessórias à movimentação de cargas e para o parqueamento de reboques, tractores e contentores/caixas móveis.

Igualmente aconteceu o reforço dos meios de movimentação de cargas. A última aquisição está operacional desde o passado 5 de Outubro: trata-se de um “reachstaker de 45 toneladas com piggybag” (a TMIP tem agora três).

Actualmente, a TMIP realiza, semanalmente, em Alfarelos “seis comboios directos à Catalunha, 12 comboios de siderúrgicos de e para toda a Península Ibérica e quatro comboios de contentores”. A tracção é assegurada “pela MedRail (ex-CP Carga) em Portugal, e em Espanha pela Renfe e Transfesa”.

Júlio Tomás não avança números mas garante que “2015 foi um excelente ano”, que em 2016 “contamos fechar acima do anterior”, e que “o ano de 2017 perspectiva-se outro excelente ano”.

“Com o presente investimento esperamos, essencialmente, a partir do primeiro semestre [de 2017] entrar definitivamente na área do multimodal, pois entendemos ter uma plataforma com excelente qualidade, super eficiente e já preparada para o desafio do “corredor Atlântico”, com comboios com 750m”, sintetiza o empresário.

 

This article has 1 comment

  1. Parabéns pela visão e pelo espírito empreendedor.