A decisão de avançar, ou não, com o terminal de contentores do Barreiro só será, afinal, tomada pelo Governo saído das próximas eleições legislativas. O actual já não terá tempo.

Contentores

O concurso para a realização do estudo prévio e do estudo de impacte ambiental do novo terminal poderá ser lançado nos próximos dias, tal como avançou esta semana a presidente da Administração do Porto de Lisboa, Marina Ferreira. Mas demorará oito meses, noticia hoje o “Negócios”.

Os referidos estudos deverão analisar a qualidade ambiental e energética do terminal e a sua eficácia (leia-se viabilidade) económica. Na prática, dos seus resultados dependerá, em última análise, a decisão de avançar, ou não, com a concessão a privados da construção e exploração do terminal.

Admitindo que o concurso seja lançado nos primeiros dias de Junho, considerando o tempo necessário à selecção do vencedor e ainda os oito meses para a realização do trabalho, fácil é concluir que só no final do primeiro trimestre do próximo ano haverá condições para lançar o processo de concessão.

O processo de construção de um terminal de contentores na margem esquerda do Tejo não é de agora mas ganhou um novo fôlego quando foi apresentado, com pompa e circunstância, pelo actual Executivo. Na altura, a localização anunciada era a Trafaria.

Quatro anos volvidos, será o Governo saído das próximas Legislativas a ter a última palavra sobre o projecto.

Se tudo correr pelo melhor, o novo terminal estará operacional em 2020. Até lá, Alcântara, Setúbal e Sines têm tempo para crescer.

 

 

 

 

Comments are closed.