O terminal GNL de Sines bateu na quarta-feira (dia 15) o recorde de regaseificação num só dia, de acordo com os dados da S&P Global Platts Analytics.

Contabilizaram-se 19 milhões de metros cúbicos de regaseificação de GNL (gás natural liquefeito) no terminal alentejano naquele dia. O anterior recorde em Sines havia sido estabelecido em meados de Janeiro.

Até ao momento, em 2019, a regaseificação de GNL no porto de Sines é 69% superior à verificada em 2018. Se apenas contabilizado o período de entregas de Verão, o incremento é de 90%.

A subida reflecte a tendência de mercado na Europa. A S&P Global Platts Analytics indica que o terminal de Sines aumentou as entregas do Qatar e dos EUA nos últimos meses, devido à fraca procura asiática por GNL, que deprimiu os valores JKM e tornou a Europa um destino mais apetecível.

Menor dependência de Espanha

Além disso, os fluxos entre Portugal e Espanha mudaram acentuadamente, com o nosso país a estar, segundo a consultora, muito menos dependente das importações do país vizinho.

De facto, Portugal importou apenas 24 milhões de metros cúbicos líquidos de Espanha este ano, em comparação com as importações líquidas de 765 milhões de metros cúbicos líquidos durante o mesmo período de 2018. Trata-se de uma queda de 97%.

Aliás, Portugal foi um exportador líquido de gás durante os dois primeiros meses de 2019. Foi a primeira vez que tal ocorreu desde Julho de 2011.

Comments are closed.