O governo federal alemão está a enfrentar a oposição e as reservas de vários estados à circulação dos camiões “giga-liners”, com carácter experimental, nas estradas germânicas. Os testes, inicialmente previstos para este ano, já deslizaram para 2012.

O estado de Baden-Würtemberg, governado desde a Primavera passada pelo partido ecologista Os Verdes, já anunciou o boicote às experiências pretendidas pelas autoridades federais de Berlim. O estado Baden-Würtemberg é um dos mais ricos da Alemanha, sendo aí, em Estugarda, que se situa a sede de importantes grupos industriais como a Mercedes ou a Bosch.

O ministério dos Transportes alemão pretende testar a circulação dos giga-liners, para avaliar os impactes ambiental e económico daquela solução de transporte rodoviário de mercadorias. Os testes deverão realizar-se num número limitado de auto-estradas, entre as quais a A7 e a A96, que cruzam o estado de Baden-Würtemberg.

Um porta-voz do governo regional já deixou bem claro que “rejeitamos a passagem [dos giga-liners] em qualquer parte de Baden-Würtemberg” e lembrou que o governo federal se comprometeu a que os testes só avançariam numa base voluntária.

Mas os problemas para o ministro dos Transportes de Berlim não vêm apenas d’Os Verdes. Também os eleitos da CSU colocam reservas às experiências. Por exemplo, no estado da Bavária, o ministro do Interior reafirmou a disponibilidade para acolher os testes, mas apenas na condição de não ser aumentado o limite máximo da carga por veículo.

“Mais peso implicaria desgastar mais as estradas e as pontes, e a Bavária rejeita isso em absoluto”, afirmou Joachim Herrmann.

Comments are closed.