A linha de Alta Velocidade entre Meca e Medina deverá ser inaugurada no próximo domingo, coincidindo com a celebração do dia nacional da Arábia Saudita.

TGV do Deserto arrancará com ano e meio de atraso

A concretizar-se, a inauguração do TGV do Deserto, como também é conhecido o projecto, acontece mais de um ano e meio após a data inicialmente prevista, que era o início de 2017.

O consórcio espanhol responsável pela construção indica, ainda assim, que está a cumprir o acordo final assinado com os governantes sauditas, em que comprometeu a lançar o TGV em Setembro deste ano, embora com uma oferta e uma velocidade comercial abaixo do projectado.

O acordo prevê que, numa primeira fase, o comboio de Alta Velocidade circule a uma velocidade máxima de 200 km/h, com serviço apenas quatro dias por semana (terça, quinta, sexta e sábado) e paragem em duas das cinco estações que terá a linha, a de Jeddah e a de King Abdullah Economic City.

Operação normal dentro de um ano

A operação plena da ligação, com serviços diários a uma velocidade máxima de 300 km/h, só deverá acontecer dentro de um ano, a partir de Setembro de 2019. Ou seja, quase três anos após o início de 2017, a primeira data prevista.

O consórcio responsável, desde 2011, pelo projecto do TGV Meca-Medina reúne várias companhias públicas e privadas espanholas: Renfe, Adif e Ineco, OHL, Cobra (ACS), Indra, Consultrans, Copasa, Dimetronic, Imathia, Inabensa e Talgo. O projecto está estimado em 6736 milhões de euros.

A linha de Alta Velocidade tem 450 quilómetros de comprimento e contará com cinco estações: Meca, Jeddah, Aeroporto Internacional Rei Abdulaziz, King Abdullah Economic City e Medina.

O objectivo dos promotores é que o serviço – operado pela Renfe – transporte 60 milhões de passageiros por ano.

Os comentários estão encerrados.