O novo comissário europeu responsável pelas alterações climáticas, Frans Timmermans, quer um esforço de redução das emissões de CO2 nos transportes superior ao já acordado.

“Quero implantar uma infra-estrutura de transporte nova, limpa, eficiente e acessível”, disse Frans Timmermans aos eurodeputados, durante a sua audição. “Já repararam o quão poluentes são os navios? Precisamos de mudar isso”, acrescentou.

A avançar, o plano pressionará ainda mais o transporte marítimo a usar combustíveis de baixas emissões, numa altura em que o sector se prepara para ter de cumprir, a partir de Janeiro próximo, o novo limite de enxofre no combustível definido pela IMO.

O novo comissário europeu defende, além disso, medidas adicionais para reduzir as emissões do transporte marítimo, como limites de velocidade e alterações na forma como os navios são abastecidos. “Quero portos verdes. Quero que os navios recebam electricidade dos portos, em vez de queimarem esse combustível horrível”, disse.

Corte de 55% até 2030

Frans Timmermans anunciou que, no início de Fevereiro, proporá uma lei para obrigar a UE a tornar-se neutra em termos climáticos até 2050 e para que se comece desde já a pesquisar a maior meta possível de corte de CO2 em 2030 para ajudar a alcançar esse objectivo.

A UE já tem uma meta vinculativa de reduzir as suas emissões em toda a economia em pelo menos 40% até 2030 face aos níveis de 1990. Esse objectivo foi acordado no ano passado. “Ficarei extremamente surpreendido se o que a pesquisa concluir não for pelo menos 55%”, rematou.

Timmermans também disse que quer ver carros limpos na UE e não uma solução sem automóveis. O novo comissário europeu não é, de resto, contrário  à inclusão do transporte rodoviário no EU ETS, o programa de comercialização de créditos de carbono.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*