O tráfego marítimo de contentores deverá crescer 4,1% em 2016, depois de no ano passado ter tido a evolução mais lenta desde 2009, prevê a Clarksons.

UASC - Barzan

O relatório da Clarksons prevê uma movimentação mundial de 182,5 milhões de TEU em 2016, que comparará com os 175,4 milhões de TEU registados no ano passado. A consultora coloca, porém, as previsões para este ano sob reserva, devido aos vários riscos que afectam a economia mundial.

No Ásia-Europa, a Clarksons aponta para um crescimento de 3,8%, para 15,4 milhões de TEU. Será um regresso a terreno positivo depois da quebra de 3,7% verificada em 2015, consequência dos ajustes dos níveis de inventário, da fraca procura europeia e das baixas importações russas.

No Trans-Pacífico, o westbound também deverá recuperar em 2016, com um crescimento esperado de 1,4%, após ter caído 3,4% no ano passado. Já no sentido inverso, a estimativa é de um crescimento de 4,6%, inferior aos 6% de 2015, mas, ainda assim, satisfatório.

Já no intra-Ásia, o crescimento previsto para 2016 é de 4,4%, acima dos 3,1% registados no ano passado, quando se verificou a subida menor desde 2009, devido ao abrandamento da economia chinesa.

As ligações Norte-Sul, que no ano passado “penaram” e viram os volumes caírem 1,4%, em 2016 deverão crescer 3,4% este ano, prevê a Clarksons. Mas a queda do preço das commodities pode ameaçar esse desempenho, avisa.

Nas rotas secundárias, o crescimento em 2016 deverá ser de 5,4%, contra 7,6% no ano passado.

 

 

Comments are closed.