O transporte rodoviário de mercadorias por empresas nacionais cresceu 2,1%, em peso, e caiu 6%, em volume, no ano passado, face a 2014, de acordo com os dados provisórios divulgados pelo INE.

Patinter - Camiões

O crescimento da tonelagem movimentada foi suportado pelo transporte nacional, que avançou 4,4% para 125,6 milhões de toneladas. Ao invés,o transporte internacional perdeu 9% face a 2009, ficando-se pelos 3«23,4 milhões de toneladas.

Em consequência, no relativo à produção de transporte, a evolução homóloga foi a inversa. No total, o volume de toneladas-km regrediu 6%, para 31,8 mil milhões. O transporte nacional produziu 10,7 mil milhões, ou 10,1% mais, e o transporte internacional regrediu 12,6% para 21,1 mil milhões de ton-km.

“Espanha reforçou a sua posição de principal parceiro de Portugal nas trocas de mercadorias por modo rodoviário, por contrapartida de reduções de França e Alemanha, tendo representado 73,9% do peso total do transporte internacional (excluindo tráfego terceiro e cabotagem)”, refere o INE.

No quarto trimestre do ano findo, o transporte nacional cresceu menos – em peso e volume – que no terceiro trimestre, ao passo que o transporte internacional caiu menos em tonelagem mas mais em volume.

 

Comments are closed.