Afinal, a Transdev ainda poderá ficar com a subconcessão da rede do Metro do Porto. O Governo pediu uns dias aos autarcas da Área Metropolitana para apresentar uma solução e todos os cenários estarão ainda sobre a mesa.

STCP + Metro do Porto

A hipótese de o contrato não ser revertido foi admitida hoje pelo presidente da Câmara Municipal de Gondomar. “Terá se se decidir se é melhor lançar um novo concurso, ou se a operação pode ser adjudicada a quem ganhou”, disse Marco Martins, à margem da assembleia geral da Metro do Porto, citado pelo “Público”.

Hermínio Loureiro, presidente do Conselho Metropolitano, sublinhou, por seu turno, que “o ministro da tutela solicitou alguns dias para que possa apresentar uma solução. E perante uma solução concreta, e objectiva, depois dela apresentada, vamo-nos pronunciar”, sublinhando que  “é muito mais o que nos une do que o que nos divide”.

A Transdev ganhou, por ajuste directo, a subconcessão da exploração da rede do Metro do Porto, que ajudou a implementar e operou para a Normetro, até o Grupo Barraqueiro ganhar a primeira subconcessão, que ainda se mantém com sucessivas prorrogações.

Desde a primeira hora que o novo Governo assumiu a intenção de reverter as subconcessões decididas pelo anterior Executivo. Mas o caso da Metro do Porto pode ser diferente pelas suas especificidades. Desde logo porque o Estado não é o único dono da empresa. Mas também porque a operação da rede já está subconcessionada e tem de ser subconcessionada. E ainda porque volta a  estar sobre a mesa a intenção de alargar a rede, o que pode abrir a porta para novos entendimentos com as autarquias e com os privados.

Metro e STCP com novos dirigentes

Jorge Moreno Delgado foi hoje confirmado como presidente da Metro do Porto, por indicação do Estado. Acompanham-no, como administradores executivos, Pedro Azeredo Lopes (ex-administrador da Efacec) e Tiago Braga (ex-Águas de Gaia).

Jorge Delgado acumula idênticas funções na STCP, cujo conselho de administração foi reduzido para três elementos apenas. Integram-no também Pedro Morais (TIP – Transportes Intermodais do Porto) e Sofia Salgado (Universidade Católica).

 

 

Os comentários estão encerrados.