Na sua primeira escala no porto de A Corunha, o Lagoa movimentou 96 contentores. Foi na semana passada e a operação marcou o alargamento à Galiza do serviço Barlavento Expresso, da Transinsular.

Lagoa

Ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS,  Miguel Gomes, administrador executivo, fala num “novo impulso à expansão das linhas internacionais” da companhia do Grupo ETE.

O Barlavento Expresso, serviço que liga Portugal às Canárias, Cabo Verde e Mauritânia, acaba de ser reforçado com um segundo navio, uma extensão à Galiza e uma segunda escala na Mauritânia.

O segundo navio é o Christina, que assim se junta ao Lagoa, de modo a permitir “uma rotação quinzenal regular”, refere Miguel Gomes. A segunda escala na Mauritânia acontece em Nouadhibou, acrescenta.

Mais importante, porque com maior potencial, é a estreia das escalas na Galiza, num movimento que permite também ao porto de A Corunha recuperar os tráfegos de contentores.

A entrada em Espanha acontece “em parceria com a parceria logística espanhola JSV, que vem potenciar o tráfego entre a Galiza e as Canárias, bem como os mercados de/para Cabo Verde e Mauritânia”, refere aquele responsável.

O reforço deste serviço da Transinsular insere-se, segundo Miguel Gomes, numa estratégia mais vasta de crescimento e de aposta em novos mercados,”especialmente numa extensão à Europa e Ásia”: “Em Leixões e Las Palmas são realizadas as ligações [do serviço Barlavento Expresso] aos demais serviços: nacionais(Ilhas) e internacionais (Central Line – Norte da Europa / Mediterrâneo / Ásia)”.

Comments are closed.