Pela primeira vez, dois armadores nacionais integram a lista dos 100 maiores operadores de navios porta-contentores mundiais elaborada pela Alphaliner: Grupo Sousa e Transinsular.

A novidade é a entrada da Transinsular para o 98.º lugar, com uma frota de oito navios (quatro próprios e outros tantos fretados) e uma capacidade agregada de 5 497 TEU.

A companhia do Grupo ETE junta-se, assim, ao Grupo Sousa (PCI + EN Madeirense + Boxlines), que já chegou ao 91.º posto do ranking e é agora 96.º, com seis (três próprios e três fretados) e 5 627 TEU de capacidade total.

Caso para dizer que, tomadas isoladamente as diversas companhias, a Transinsular “deveria” estar à frente do Grupo Sousa no ranking, mas não é esse o critério seguido pela prestigiada Alphaliner.

A ascensão – relativa embora – das companhias portuguesas no ranking mundial pode ser explicada, desde logo, por duas ordens de factores. Por um lado, o reforço da frota controlada pelos armadores nacionais (recorde-se que ainda recentemente o Grupo Sousa anunciou a compra do maior porta-contentores português pela ENM).

Por outro lado, a consolidação do sector à escala mundial tem “eliminado” do ranking vários operadores em posições cimeiras. Sem ser exaustivo, citem-se os casos da UASC, da Hamburg Süd, da K Line, da MOL, da NYK ,… e outras que se lhes seguirão.

Ainda assim, merece registo esta presença simultânea de dois armadores nacionais no ranking da Alphaliner.

 

Os comentários estão encerrados.