A Comissão de Comércio da Nova Zelândia apresentou uma queixa no Supremo Tribunal de Auckland contra vários grupos transitários internacionais, sob a acusação de conluio na fixação de sobretaxas e taxas de serviços de agenciamento de carga aérea para a Nova Zelândia, informou a Dow Jones Newswires.

O regulador neo-zelandês disse em comunicado que o processo foi interposto contra várias empresas do grupo Deutsche Bahn, o BAX Group (agora também pertencente ao grupo Deutsche Bahn), a Kuehne & Nagel International, a Panalpina World Transport (Holdings), a EGL Inc (parte da CEVA Logística) e a Geologistics International (Bermuda) Ltd.

A Comissão acrescentou ter chegado entretanto a acordo com a EGL e com a Geologistics para resolver o processo. Os detalhes dos acordos serão divulgados assim que forem aprovados pelo tribunal. Em ambos os casos, as filiais da Nova Zelândia não estavam envolvidas.

As investigações começaram em 2007 mas a Comissão de Comércio alega que alguns dos acordos estão em vigor desde 2001.

“Os acordos entre concorrentes para fixar, controlar ou manter os preços distorcem o rumo da concorrência e mantêm os preços artificialmente elevados”, disse Kate Morrison, directora-geral da Comissão. “Isso não só prejudica as empresas a jusante, mas também os consumidores que em consequência podem acabar por pagar preços mais elevados”, reforçou.

Os comentários estão encerrados.