Os planos da Transitex para o terminal ferroviário de Elvas incluem a expansão das instalações e o alargamento dos serviços prestados com a criação de um entreposto aduaneiro e de um armazém para consolidação/desconsolidação de cargas, adiantou ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS Fernando Lima, o líder da empresa.

A Transitex vai investir um milhão de euros no terminal ferroviário de Elvas, ao abrigo de um protocolo assinado com a Câmara Municipal local, que melhorará o acesso rodoviário à plataforma.

O investimento será faseado, sendo que “a parte mais importante, relativa ao terminal, estará terminada em Junho”, referiu Fernando Lima. A principal melhoria será o prolongamento do cais de acesso aos comboios “em mais 100 metros”, que permitirá “deixar acessíveis 44 TEU a partir do terminal sem manobras adicionais”, o que aumentará “consideravelmente” a operacionalidade do terminal, sublinhou.

Prevista está também a ampliação da área de parqueamento, “de 8 000 para 12 mil metros quadrados, com o que passaremos a dispor de uma área para parquear mais 132 TEU”. E será ainda construído um armazém de 1000 metros quadrados, “onde será possível efectuar o cross-docking e articular o transporte contentorizado com o convencional”.

A Transitex mantém um serviço regular de transporte ferroviário de contentores em Elvas desde 2005, “a um ritmo de 5-7 comboios por semana”. Anualmente, são assim movimentados “uma média de 15 000 TEU cheios”, com especial destaque para os produtos agro-industriais.

A vizinha região espanhola da Extremadura pesa “mais de 80%” na actividade da Transitex em Elvas, diz Fernando Lima. O cruzamento da fronteira é feito por rodovia, com recurso a uma frota “de 50 camiões que foram deslocados para prestar este serviço de last mile”.

Mas a procura “é crescente por parte do tecido empresarial localizado do lado português”, reconhece. E poderá ser ainda dinamizada com a criação do entreposto aduaneiro, cujo processo de criação será brevemente iniciado, anuncia.

Os comentários estão encerrados.