A interpretação francesa do Regulamento comunitário sobre a utilização do tacógrafo poderá custar aos transportadores rodoviários até 20% do tempo útil de trabalho, clamam as empresas, que falam em discriminação dos operadores estrangeiros.

Motoristas em descanso

As autoridades francesas estão, desde o início do mês, a multar por excesso de tempo de condução os motoristas de pesados que não realizem com o veículo parado os 45 minutos de pausa obrigatórios após 4h30 de condução. A multa, que pode chegar a 6 000 euros, resulta de uma nova interpretação do Regulamento comunitário 561 sobre a utilização do tacógrafo, que penaliza sobretudo os casos de condução dupla.

A associação espanhola Fenadismer já solicitou à Comissão Europeia que se pronuncie sobre o assunto, indicando que se a França estiver a actuar de acordo com a legislação comunitária, as empresas que operem com dois motoristas “verão a sua actividade diária afectada em cerca de 20% de redução das horas efectivas de trabalho”.

A também espanhola Astic vai mais longe e acusa o governo francês de “distorcer o Regulamento 561 de forma obscurantista para prejudicar os transportadores estrangeiros” e denuncia que Executivo e os transportadores franceses “compactuaram há um ano esta reinterpretação em segredo, sem avisar ninguém”.

A Astic avisa, por isso, que vai, através da IRU – União Internacional dos Transportes Rodoviários, denunciar esta “grave situação” junto da Comissão Europeia e do governo francês, além de outras instituições e associações internacionais do sector dos transportes.

» Descanso “em andamento” dá multas em França

 

Comments are closed.