As três federações de transporte rodoviário de mercadorias e logística da Bélgica (Febetra, TLV e UPTR) convocaram para dia 18, em Bruxelas, uma manifestação contra a introdução, prevista para Fevereiro de 2016, da taxa quilométrica nas auto-estradas das Flandres.

Bélgica - Portagens

De acordo com os cálculos das três federações, um veículo pesado que percorra 80 000 quilómetros por ano nas auto-estradas da Bélgica, com o novo sistema de taxas terá de pagar 10 240 euros, contra 1 250 euros da actual eurovinheta.

Além disso, se a viatura também circular na Holanda e/ou no Luxemburgo, continuará a ter de comprar uma eurovinheta.

A Febetra, a TLV e a UPTR pretendem, com a manifestação, sensibilizar a opinião pública belga para o impacto que a introdução da taxa quilométrica terá num sector que já passa por sérias dificuldades devido à abertura do mercado aos operadores do Leste da Europa.

As associações avisam que não terão alternativa a passar para o cliente o impacto de 6,7% a 7,5% no custo de transporte que a entrada em vigor daquela taxa terá.

A taxa quilométrica é uma discussão antiga na Bélgica. Já esteve para entrar em vigor em 2013, mas o Governo adiou a sua introdução para 2016.

18 de Junho será o dia em que o Govermo apresentará no Parlamento as tarifas previstas.

 

 

Os comentários estão encerrados.