As três federações belgas de transportes e logística, a Febetra, a TLV e a UPTR, vão falar a uma só voz contra a taxa quilométrica que as autoridades regionais querem implementar a partir de 2016.

Bélgica - Portagens

“As três federações estão na mesma ‘frequência’ e reivindicam a mesma coisa”, referiu, citado pelo portal “WK TL”, o secretário-geral da UPTR.

As três federações consideram a taxa um imposto adicional para um sector que perdeu 6 000 empregos desde 2009. “O impacto dessa taxa quilométrica aumentará o custo do transporte entre 6,5% e 7,5%”, acrescentou Michaël Peul.

Febetra, TLV e UPTR enviaram aos seus associados um questionário para saberem o que estes desejam que se faça. As federações contam divulgar, no próximo dia 8 de Abril, um comunicado conjunto no qual serão indicadas as medidas a tomar.

A taxa quilométrica é uma iniciativa das regiões belgas (Bruxelas Capital, Valónia e Flandres). O próprio governo federal seria favorável a que se mantivesse a lógica actual. Mas na Bélgica são as autoridades regionais que têm competência sobre as infra-estruturas e os transportes, pelo que o montante arrecadado pela taxa quilométrica será para os cofres das regiões.

Comments are closed.