O gasóleo “20 cêntimos mais barato” é a principal exigência da Antram e da ANTP, saída da reunião de transportadores, deste sábado, em Pombal, na sequência do aumento do ISP.

Gasóleo

O presidente da ANTRAM, Paulo Duarte, que falou aos jornalistas a meio da reunião, realizada à porta fechada, na condição de porta-voz das duas associações, defendeu uma equiparação do preço do gasóleo àquele que é praticado em Espanha, sendo para tal necessária uma redução de 20 cêntimos.

Segundo o dirigente, se “em Espanha são competitivos” em relação ao preço do gasóleo, essa competitividade também deve ser possível de se alcançar em Portugal, recordando ainda que o actual preço do gasóleo leva a que as transportadoras optem por abastecer em Espanha. “Queremos ser competitivos no sector de que Portugal tão precisa, que é o sector das exportações”, bem como na circulação de produtos no mercado interno, vincou.

Da reunião de Pombal saiu também a decisão de apresentar ao Governo um documento com “pelo menos seis medidas”, no início da próxima semana, informou Paulo Duarte. As duas associações esperarão por “uma resposta concreta na semana seguinte” e, mediante a resposta do Governo, poderão tomar “outro tipo de medidas e de luta”, disse, sem querer adiantar que outras acções poderão ser encetadas.

Paulo Duarte optou por não divulgar as medidas inscritas no documento, à excepção da exigência da redução do preço do combustível, mas afirmou que o pacote de propostas é “verdadeiramente exequível” e que podem tocar na “redução de custos de contexto”, entre outras áreas.

Segundo o presidente da Antram, foi “muito difícil” convencer os representantes das transportadoras reunidos em Pombal a avançar para a entrega deste pacote de medidas, porque “há muitos anos” que o sector apresenta propostas, mas “a receptividade não tem sido a melhor”.

A proposta do Orçamento do Estado para 2016 determina o aumento do ISP em seis cêntimos por litro na gasolina sem chumbo e no gasóleo rodoviário e três cêntimos por litro no gasóleo colorido e marcado (gasóleo verde ou agrícola). O aumento entrou ontem mesmo em vigor.

Com esta medida, o Governo pretende arrecadar mais 360 milhões de euros e, assim, compensar a descida das cotações do petróleo nos mercados internacionais, que levou a uma perda de receitas para o Estado.

 

Os comentários estão encerrados.