Operações deverão iniciar-se em Novembro. Objectivo é transportar 330 mil toneladas no primeiro ano de actividade.

Chama-se Ferovergne e é mais um Operador Ferroviário de Proximidade (OPF na sigla gaulesa) a nascer em França, ao abrigo do programa de reforço da transferência das cargas da rodovia para a ferrovia.

A Ferovergne distingue-se, porém, por ser controlada por sete transportadores rodoviários de mercadorias, que detêm 75% do capital. O restante está nas mãos de carregadores (10%) e da SNCF Geodis (filial de carga do operador público).

A companhia, lançada em Clermont-Ferrand, iniciará as operações sob o “guarda-chuva” da SNCF (por causa da licença de operação e do certificado de segurança), prevendo transportar 330 mil toneladas no primeiro ano. O equivalente a 13 200 trajectos rodoviários.

Dentro de dois anos, a meta é chegar às 500 mil toneladas, o que implicará retirar uns 20 mil camiões das estradas.

Para além de aliviar as estradas regionais, a operação da Ferovergne deverá representar um apport de umas 180 mil toneladas para os tráfegos de mercadorias de longa distância realizados pela SNCF.

Presente no lançamento deste novo operador ferroviário, o secretário de Estado dos Transportes francês anunciou que outros OPF estarão a ser criados nas regiões de Aquitaine, da Bretanha ou do Languedoc-Roussillon.

Os comentários estão encerrados.