A sobrecapacidade de oferta no mercado de transporte marítimo de contentores atinge os 8,1% da frota mundial, medida em TEU, de acordo com a consultora norueguesa Xeneta.

Maersk

 

Tendo em conta que, segundo a Alphaliner, a capacidade da frota mundial é de 20 719 986 TEU (dados de 7 de Setembro), o sector terá cerca de 1,7 milhões de TEU em excesso.

Da consultora lembram que só no ano passado entraram no mercado mais de duas centenas de navios, agravando o desequilíbrio entre a oferta e a procura.

A sobrecapacidade, aliada à descida da procura, é uma das causas para a crise por que passa o sector, de acordo com os especialistas.”É demasiado espaço para tão pouca procura”, salientam desde a Xeneta, que apontam a fragilidade da economia europeia e a descida do comércio entre a Ásia e os Estados Unidos como principais causas para o arrefecimento da procura. Com consequências no nível dos fretes e, logo, na facturação das companhias.

A resposta dos operadores a este cenário parece passar por mais fusões e aquisições e por mais anulações de rotações, mas isso não será suficiente para resolver o problema de fundo no futuro próximo, segundo os analistas. Aliás, avisam, os recentes aumentos dos preços dos fretes em alguns tráfegos apenas disfarçam a crise.

Os especialistas avisam que é necessária, também, uma mudança de mentalidade da parte dos operadores que, para assegurar volumes, assinaram contratos de longo prazo a preços muito baixos com os carregadores. “Os operadores começam a renegociar as tarifas para não voltarem a ficar presos”, indica a Xeneta.

 

 

Comments are closed.