O Grupo ETE e o Grupo Sousa têm mais concorrência na “corrida” à concessão do transporte inter-ilhas de Cabo Verde. Dois interessados que tinham sido excluídos foram readmitidos.

 

As empresas Polaris e a Palm Shipping Line foram readmitidas ao concurso internacional para a atribuição de licença de operador público de transporte marítimo em Cabo Verde, juntando-se outra vez aos grupos Sousa e ETE, à West African Company e à cabo-verdiana CV Fast Ferry, que passaram à segunda fase, de acordo com a imprensa local.

As duas empresas haviam sido excluídas do concurso público internacional lançado a 30 de Janeiro por não
terem apresentado a Declaração de Inexistência de Impedimentos.

Na sequência de um recurso, o Ministério das Finanças informou em comunicado que a Unidade de Acompanhamento do Sector Empresarial do Estado decidiu conceder às duas empresas dois dias para a apresentação do documento em falta “para que se possa avançar imediatamente com a avaliação das suas propostas e dar-se início à segunda fase do concurso.”

A data para a apresentação das propostas técnicas das empresas seleccionadas para a segunda fase está marcada para dia 18 de Maio, devendo o vencedor ser conhecido até dia 8 de Junho para que até 4 de Julho, o mais tardar, seja assinado o contrato de concessão.

 

Os comentários estão encerrados.