O Baltic Dry Index caiu 95% entre o início da crise económica mundial e Janeiro de 2015 e a ligeira recuperação registada no último Verão já se esfumou.

Dry bulk

Não há meio de haver boas notícias para o transporte marítimo de carga a granel, de acordo com a “The Economist”. O excesso de capacidade instalada é apontado como a principal razão para a descida dos preços médios dos fretes.

Como resultado, está a haver uma onda de falências entre as companhias marítimas que se dedicam ao transporte de carga a granel. Várias companhias asiáticas, como a sul-coreana Daebo International ou a japonesa Daiichi Chuo Kisen, foram forçadas a pedir protecção de credores. Em Julho, a Lituânia fechou a companhia de transporte de granéis, tão mau era o prognóstico para o sector.

Angelina Valavina, da agência de notação financeira Fitch, explica que nos próximos meses mais companhias deverão declarar falência, sobretudo as de menor dimensão, já que a banca fechou a torneira do financiamento.

O pior para o sector é que as empresas não podem seguir o exemplo do negócio do transporte marítimo de contentores, que se tenta consolidar através de alianças, aquisições e fusões. A explicação para tal impossibilidade está na pouca apetência dos empresários pela cooperação, mas, acima de tudo, no facto de haver poucas companhias com a solidez financeira exigível para poderem assumir as empresas concorrentes em dificuldades.

 

Comments are closed.