O volume de negócios das empresas portuguesas de transporte rodoviário de mercadorias deverá crescer este ano 1,5%, praticamente o dobro do verificado em 2015, antecipa a DBK no seu relatório sectorial.

Patinter - Camiões

No ano passado, as transportadoras lusas realizaram um volume de negócios de 2,67 mil milhões de euros, valor que representou um aumento homólogo de 0,8%. A puxar pelos números. o transporte internacional cresceu 1,1% e atingiu os 1,35 mil milhões de euros.

Para o ano corrente, a previsão da DBK para as operadoras nacionais é de um crescimento de 1,5% no volume de negócios global, favorecido pela recuperação da economia nacional e das exportações.

O estudo sectorial da consultora DBK abrange o mercado ibérico do transporte rodoviário de mercadorias, o que permite algumas comparações com o país vizinho.

No relativo à taxa de crescimento verificada em 2015 e esperada para 2016, Portugal fica muito longe de Espanha. No outro lado da fronteira,o volume de negócios subiu 1,9% em 2915, face a 2014, e e este ano deverá atingir os 2,2%.

O mesmo se diga relativamente à dimensão dos mercados respectivos. Quer em volume de negócios (13,45 mil milhões de euros contra 2,67 mil milhões), quer em número de operadores (103 590 contra 7 686), quer ainda em número de veículos 319 530 vs. 25 648).

Onde Portugal ganha ao vizinho espanhol é na dimensão média da frota (3,3 veículos por empresa do lado de cá, 3,08 do lado de lá da fronteira).

O mesmo se diga sobre a concentração do sector. Por cá, as cinco maiores empresas controlam 17,2% do mercado e as dez maiores chegam aos 25,9%, enquanto em Espanha os mesmos grupos detêm 11,3% e 18,2% do mercado em valor.

 

 

Os comentários estão encerrados.