Transtejo e Soflusa estão a ultimar o estudo da renovação da frota, que deverá passar pela compra de dez embarcações, num investimento de 50 milhões de euros.

A novidade foi dada hoje, no Parlamento, pelo secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, que adiantou tratar-se de um “investimento viável”.

Falando perante a Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, José Mendes avançou que existem 17 milhões de euros disponíveis do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR) para
corrigir a actual “escassez da frota da Transtejo e da Soflusa”.

Uma vez que cada navio custará cinco milhões de euros, o Governo terá ainda de disponibilizar mais 33 milhões de euros para financiar as dez embarcações.

“Esse é um investimento que é viável”, reforçou o governante, explicando que a Transtejo e a Soflusa têm até ao final de Fevereiro para concluir o estudo sobre o reforço da frota.

 

A compra de dez embarcações não visa a renovação de toda a actual frota, mas “há claramente navios que não podem continuar a operar”, reconheceu o secretário de Estado Adjunto e do Ambiente.

 

Este artigo tem1 comentário

  1. Se for dada luz verde à expansão do aeroporto Lisboa para o Montijo, duvido muito que os 10 novos barcos sejam suficientes para acumular o transporte diário acrescido do movimento das companhias aéreas se constatamos que os restantes barcos são velhinhos !?