O prolongamento do contrato de exploração da rede de metro do Porto com o consórcio ViaPorto custou 9,5 milhões de euros. O novo prazo termina a 31 de Março. E ainda não há contrato com o consórcio TMB/Moventis.

Foi ontem publicada em Diário da República a portaria que autoriza a Metro do Porto a saldar as contas com a ViaPorto, o consórcio (liderado pelo Grupo Barraqueiro) que operou e manteve a rede do metropolitano da Invicta nos últimos cinco anos.

A ViaPorto irá, assim, receber cerca de 13,1 milhões de euros relativos ainda a 2014 e 9,5 milhões de euros respeitantes ao prolongamento do contrato por um prazo de três meses, entre Janeiro e Março do ano corrente.

Entretanto, quando falta pouco mais de um mês para o fim do prolongamento da concessão da Metro do Porto ainda não está fechado o contrato com o novo concessionário, o consórcio TMB/Moventis.

Em princípio, o tempo disponível será o bastante para concluir o contrato e obter a aprovação do Tribunal de Contas. Mas mantém-se a polémica em torno do processo, com a Antrop a insistir na existência de alegadas irregularidades.

 

Os comentários estão encerrados.