Guimarães é a primeira cidade do país a ter um autocarro urbano 100% eléctrico produzido em Portugal. A Arriva Portugal (Norte), através dos Transportes Urbanos de Guimarães (TUG) colocou um e.City Gold, da CaetanoBus, ao serviço na linha Cidade, que percorre o centro histórico do Berço da nacionalidade.

O autocarro representa um investimento de 508 mil euros do operador, comparticipado em 200 mil euros a fundo perdido pelo programa POSEUR, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo de Coesão Ambiental.

“A Arriva Portugal e a sua subsidiária TUG pautam a sua acção por uma atitude de proximidade com as comunidades e, como não podia deixar de ser, envolveu-se desde a primeira hora no movimento empreendido pela Câmara Municipal de Guimarães [CMG] de mudança de paradigma no que toca ao ambiente, neste caso corporizada pela candidatura a Capital Verde Europeia de 2020”, referiu, na apresentação do veículo, Manuel Oliveira, presidente da comissão executiva da Arriva Portugal Norte.

“É um orgulho para nós apresentarmos o primeiro autocarro eléctrico urbano standard de 12 metros produzido em Portugal que opera no nosso país, levando a que Guimarães seja, uma vez mais, uma cidade pioneira na adopção de medidas de sustentabilidade ambiental, desta vez na mobilidade urbana”, acrescentou o executivo.

CaetanoBus com mais entregas em breve

O CEO da CaetanoBus, Jorge Pinto, salientou a parceria com a CMG e a Arriva. “Agradecemos a oportunidade que nos deram para mostrar que um autocarro eléctrico pode ser viável e, no longo prazo, mais rentável do que um diesel”, disse.

Até ao final deste ano, a CaetanoBus irá ainda fornecer 15 unidades deste modelo para a STCP (Porto) e seis unidades para os TUB (Braga). “Com estas encomendas, a empresa do grupo Salvador Caetano, concretiza a sua presença com veículos de mobilidade limpa no território nacional”, indica uma nota de imprensa da CaetanoBus.

e.City Gold com 150 km de autonomia

O e.City Gold da CaetanoBus distingue-se pela unidade motriz eléctrica, sem recurso a qualquer motor auxiliar a combustão, e conjunto de baterias de apoio, que lhe permitem uma autonomia de 150 km. São ainda características do veículo a tipologia de piso rebaixado ou o acesso para pessoas com mobilidade condicionada.

O veículo será carregado duas vezes por dia, uma vez à noite e outra a meio do dia. Por forma a assegurar o carregamento das baterias durante a operação, o Município de Guimarães disponibiliza um posto de carregamento rápido na Estação Central de Camionagem. Também desenvolvido em Portugal, pela Efacec Electric Mobility, este equipamento, modelo QCBus, permitirá o funcionamento contínuo do autocarro eléctrico diariamente, tendo na potência instalada, 150 kW, a sua principal particularidade.

O QCBus é, nesta data, o único equipamento instalado em Portugal com estas características, representando um investimento de 37 mil euros, não comparticipado.

“A mobilidade eléctrica é um objectivo estratégico da CMG, sendo o posto de carregamento rápido uma valência e um incentivo a que outros operadores de transporte público disponibilizem no futuro veículos de transporte público de passageiros eléctricos e ou híbridos plug-in, associados a carreiras regulares”, indica a nota de imprensa da autarquia vimaranense.

Frota da TUG com idade inferior à média nacional

A TUG by Arriva dispõe de uma frota de 30 autocarros com uma idade média de nove anos (o veículo mais antigo tem 15 anos), o que é quase metade da média nacional de 16 anos.

“Isso, também nesse aspecto, coloca a empresa numa das melhores posições do país”, indicou, na apresentação do e.City Gold, Manuel Oliveira, presidente da comissão executiva da Arriva Portugal Norte.

O executivo acrescentou que “nos últimos três anos, a TUG procedeu à substituição de 23 dos seus autocarros, tendo hoje uma frota muito padronizada em que, sem ser obrigatório por lei, a totalidade dos autocarros está dotada de ar condicionado, tem piso rebaixado e 93% (28 dos 30 autocarros) tem rampa de acesso para pessoas com mobilidade reduzida”.

A linha Cidade, na qual o Eléctrico de Guimarães passa a operar é, segundo Manuel Oliveira um exemplo de sucesso. “Tem tido muito crescimento da procura: quase quadruplicou desde 2010 até hoje. Passou de 57 mil para 200 mil viagens”, disse.

Seguir-se-á a introdução de novas tarifas, nomeadamente a introdução do passe Eléctrico, no valor de 17 euros mensais e para a utilização exclusiva desta linha. Também serão introduzidos bilhetes de dia, bilhetes de horário e de família (este para o fim de semana).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os comentários estão encerrados.