A TUI estará a preparar para o segundo trimestre do próximo ano a venda da partipação na Hapag-Lloyd, avança a “Bloomberg News”.

Credit Suisse, Deutsche Bank e Goldman Sachs estão a aconselhar a TUI sobre a venda, que provavelmente seria feita através de uma oferta pública inicial (IPO), segundo fontes próximas das negociações, entrevistados pela “Bloomberg” mas que preferiram o anonimato.

A TUI, operador turístico alemão que detém uma participação de 43% na Hapag-Lloyd, disse a 22 de Setembro que a sua posição iria aumentar para os 49,8% até ao final do ano, fruto da reestruturação da dívida do armador.

No passado dia 16, a Hapag-Lloyd reportou lucros recorde antes de juros e impostos de 666 milhões dólares para os primeiros nove meses de 2010, com os fretes e os volumes em alta.

A TUI tem dito repetidamente que pretende alienar a participação na Hapag-Lloyd para se concentrar no turismo. Porém até ao momento não foi capaz de encontrar um comprador.

Um grupo de investidores com sede em Hamburgo, incluindo o bilionário alemão Klaus Michael Kuehne, o MM Warburg, o HSH Nordbank e o governo da cidade de Hamburgo, detém a participação maioritária na Hapag-Lloyd.

Segundo o CEO da TUI, Michael Frenzel, “graças ao forte desempenho operacional da Hapag-Lloyd, as nossas expectativas a respeito da nossa participação foram confirmadas. Com esses excelentes resultados operacionais, todas as nossas opções para a melhor alienação possível foram garantidas”.

Comments are closed.