As autoridades da Finlândia e da Estónia estão a estudar a construção de um túnel ferroviário submarino com 103 km de comprimento para ligar as capittaisHelsínquia e Talin.

A avançar, o objectivo é que as obras comecem em 2025 e a operação comercial em 2040. Para já, o estudo de viabilidade estima o investimento necessário entre 13 e 20 mil milhões de euros no projecto.

O modelo de investimento recomendado é o de parceria público-privada, com uma subvenção da União Europeia a 40%.

O estudo identifica o financiamento como a maior fraqueza do projecto e que a operação do comboio exigirá subsídios anuais de 280 milhões de euros por um período de 40 anos da parte dos governos de Estónia e Finlândia.

As viagens de navio entre Talin e Helsínquia, no Golfo da Finlândia, têm um tempo de trânsito de até duas horas. O túnel ferroviário poderia reduzir o tempo de viagem para 30 minutos, permitindo viagens quotidianas entre as duas capitais.

Os comboios funcionariam em intervalos de 20 minutos a velocidades de até 200 km/h. O preço dos bilhetes seria de 18 euros.

As autoridades de ambos os países estimam que, em 2050, cerca de 12,5 milhões de passageiros usariam o comboio por ano e 10,5 milhões os ferries entre Talin e Helsínquia. Actualmente, cerca de nove milhões de pessoas fazem esse percurso todos os anos.

 

 

 

 

 

 

Os comentários estão encerrados.