A Turkish Airlines torna-se hoje a segunda companhia a voar directamente entre a Europa e Moçambique. A TAP garante não temer a concorrência.

Turkish Airlines

“Não temos receio da concorrência e não temos qualquer alteração prevista à nossa operação”, adiantou à “Lusa” fonte oficial da transportadora portuguesa, que até agora detinha o monopólio das ligações  (a moçambicana LAM está na “lista negra” da Comissão Europeia e por isso impedida de voar para a Europa).

O primeiro voo da Turkish Airlines, à partida de Istambul,  deverá aterrar no Aeroporto Internacional de Maputo ao início da tarde.

A nova ligação da  Turkish terá três frequências semanais, às quartas, sextas e domingos, sendo Moçambique o 45.º destino africano da
companhia e o 111.º em todo o mundo.

“O aumento de interesse por parte de investidores e turistas em Moçambique revelou-se uma boa oportunidade para a Turkish Airlines dar resposta à crescente procura”, declarou Hüseyin Alper Kuru, diretor-geral da empresa, citado num comunicado emitido a propósito, sublinhando que a duplicação da capacidade do Aeroporto de Maputo, para processar 900 mil passageiros por ano foi a “janela de oportunidade” para abrir esta rota.

A nova ligação será assegurada por um Airbus 330-300 com capacidade para 261 passageiros em classe económica e 28 em executiva e terá uma campanha de lançamento válida até 31 de Janeiro de 579 euros por passagem, a partir de Istambul.

Os preços praticados pela TAP na sua ligação a Maputo são alvo de queixas frequentes dos passageiros, que, no pico do Natal, chegam a pagar mais de 3 500 euros por uma passagem de ida e volta.

No ano passado, as autoridades moçambicanas assinaram acordos com as congéneres de França e da Holanda a criação de ligações aéreas entre os respectivos países.

Comments are closed.