A Comissão Europeia arrisca pagar 1,7 mil milhões de euros de indemnização à UPS por ter vetado a compra da TNT Express em 2013.

O Tribunal Europeu de Justiça decidiu esta semana pela anulação do veto da Comissão Europeia à compra da TNT Express pela UPS, abrindo caminho à indemnização reclamada de 1,7 mil milhões de euros.

A decisão do tribunal – a mais alta instância comunitária – confirma a sentença do Tribunal Geral da União Europeia, de que a Comissão Europeia tinha recorrido.

O Tribunal Europeu de Justiça manteve que a Comissão Europeia infringiu os direitos de defesa da UPS quando na sua tomada de decisão utilizou um modelo econométrico diferente do usado nas trocas de informações com a UPS.

Em 2013, o Executivo comunitário vetou a compra da TNT Express pela UPS, num negócio de 5,2 mil milhões de euros, por considerar insuficientes as concessões propostas para garantir a concorrência no sector.

No entretanto, em 2016 a TNT Express foi mesmo comprada, mas pela FedEx Corp, por 4,4 mil milhões de euros.

Reagindo à decisão do tribunal, a UPS referiu, em comunicado, que “clarifica os procedimentos e os critérios relevantes para a aprovação de fusões”.

Resta agora saber como acertarão as duas partes – CE e UPS – o pagamento da indemnização reclamada pela comapanhia norte-americana.

 

Comments are closed.