A Network Rail, gestora da infra-estrutura ferroviária britânica, deu por terminado o trabalho de dois anos de “limpeza” dos canais horários alocados aos operadores ferroviários de transporte de mercadorias do país. E com isso libertou capacidade para o crescimento dos tráfegos.

Comboios - UK

Ao longo do processo, os operadores britânicos de transporte ferroviário de mercadorias abdicaram de cerca de 50% dos seus canais horários, num total de 4 072 por semana.

“O mercado de transporte ferroviário de mercadorias pode confiar que o futuro crescimento do tráfego pode ter lugar sem haver a necessidade constante de construir capacidade adicional”, indica o comunicado da Network Rail.

“É importante que todo o sector ferroviário trabalhe em conjunto para aproveitar ao máximo a capacidade disponível e para minimizar a necessidade de novos e dispendiosos esquemas de aumento de capacidade”, indica Paul McMahon, director-geral da Network Rail para os operadores britânicos de mercadorias e passageiros.

A Network Rail aponta três razões principais para ter sido possível libertar uma parcela tão grande de capacidade. Uma foi o declínio “sem precedentes” no número de carregamentos de carvão nos últimos dois anos, juntamente com o declínio dos tráfegos de ferro e aço. Outra razão é o aumento da eficiência dos comboios de mercadorias, que agora podem percorrer “distâncias maiores, com mais carga e com mais peso”. O último factor são as melhores definições dos horários dos comboios de mercadorias, o que está a permitir, segundo a Network Rail, a redução do número de comboios parcialmente carregados, com menos capacidade desperdiçada.

 

 

Comments are closed.