O período de transição proposto para as alfândegas da União Europeia eliminarem os processos aduaneiros em papel foi alargado de 2020 para 2025. O adiamento do prazo foi solicitado pela Comissão ao Parlamento Europeu.

Os países da UE estão a trabalhar para instalar os 17 sistemas electrónicos admitidos pelo Código Aduaneiro da União (CAU), em vigor desde 2016. No entanto, é provável que até 2020 apenas a instalação de 80% dos sistemas esteja concluída, além de que os sistemas também devem estar interligados entre si para a harmonização dos dados.

Este alargamento do prazo por cinco anos permite, então, uma mudança mais tranquila, além de garantir o normal funcionamento das alfândegas até 2025.

As autoridades comunitárias acreditam que o CAU facilitará os contactos entre os operadores económicos e as autoridades aduaneiras, bem como entre as próprias autoridades aduaneiras, acelerando e simplificando o desalfandegamento das mercadorias.

 

 

 

Os comentários estão encerrados.