A Vale Moçambique iniciará a exportação de carvão extraído em Moatize em Outubro próximo, através do corredor da Beira. A operação comercial arrancará em 2012.

Marcelo Mattos, director de vendas e de marketing do grupo mineiro, afirmou, citado pela agência “Estado”, que o projecto de Moatize será executado em duas fases. Na primeira a produção de carvão ascenderá a 11 milhões de toneladas por ano, sendo 8,5 milhões de toneladas de carvão de coque e os restantes 2,5 milhões de toneladas de carvão térmico.

Nessa fase, o carvão extraído será escoado através do chamado corredor da Beira, o que levanta problemas uma vez que a capacidade da linha de caminho de ferro do Sena não ultrapassa os seis milhões de toneladas por ano.

“Estamos a estudar a possibilidade de aumentar a capacidade do terminal de carvão na Beira mas, obviamente, enquanto Nacala não estiver pronto, estaremos limitados à capacidade da Beira”, disse Marcelo Mattos num seminário sobre carvão, realizado no Rio de Janeiro.

Para a segunda fase, em que a capacidade de Moatize deverá ser duplicada, a Vale quer utilizar o corredor de Nacala para exportar o carvão.

A capacidade de Nacala será de 18 milhões de toneladas e o empreendimento deverá ficar pronto em 2014. O respectivo projecto será apresentado à administração do grupo no decurso do terceiro trimestre deste ano.

Comments are closed.