O grupo mineiro Vale prevê fazer este ano mil comboios de carvão, entre Moatize e o porto da Beira, pela linha de Sena. No ano passado foram apenas 120.

Em Setembro, o grupo brasileiro fixou um novo recorde, com 95 comboios carregados com carvão, disse o director de operações logísticas da Vale. Citado pelo “Notícias”, de Maputo, Vanderlei Marques adiantou que aquele número de comboios permitiu o embarque de 257 mil toneladas de carvão em quatro navios, três dos quais panamax com 80 mil toneladas de capacidade cada um, facto inédito num único mês até à data.

Desde o início do ano, a Vale já realizou mais de 600 comboios, com 42 vagões e 63 toneladas de carvão cada, e daí o objectivo de atingir a fasquia das mil composições até ao final de Dezembro.

A operação de carga de navios com capacidade acima de 35 mil toneladas é actualmente efectuada através do transbordo em alto mar, a 42 quilómetros do porto da Beira, com o auxílio de dois navios de menor capacidade fabricados especialmente para esta finalidade, os Bulk Zambezi e Bulk Limpopo.

A produção de Moatize é toda transportada através da linha férrea de Sena, numa distância de 575 quilómetros, até o porto da Beira. No futuro, parte das cargas será igualmente transportada para o porto de Nacala, na província de Nampula, num percurso com uma extensão de 912 quilómetros, que cruzará o Malawi, e parte do qual está ainda a ser construído pela Mota-Engil.

Os comentários estão encerrados.