A Ferrocarriles de la Generalitat Valenciana (FGV) vai alienar a maior parte das acções que detém na Logitren, operador privado de transporte ferroviário de mercadorias do país vizinho.

A FGV vai vender a maior parte das acções da Logitren

A FGV, operador público regional, reduzirá a sua posição accionista na Logtitren Ferroviaria, SA, dos actuais 38,27% para apenas 5%. Para isso venderá 4 494 das 5 170 acções que detém, anunciou.

A FGV não adiantou o valor por que se propõe vender a sua participação, nem como promoverá a alienação, nem a quem.

A Logitren é actualmente propriedade da Torrescámara, um grupo de construção, com 38,27% do capital, da Laumar com 23,46% e da FGV com os já referidos 38,27%.

A Logitren iniciou a actividade em 2010. Foi a primeira empresa ferroviária da região de Valência com uma licença para operar em todo o território espanhol e europeu no transporte de mercadorias por ferrovia.

A companhia figura entre os mais pequenos dos cerca de uma dezena de operadores privados que actuam no mercado espanhol de transporte ferroviário de mercadorias e que, juntos, controlarão cerca de um quarto do negócio.

Recentemente, a SNCF comprou a totalidade do capital da Comsa Rail, um dos maiores privados do país vizinho.

» UE dá “luz verde” à entrada da SNCF na Comsa Rail

Tags:

Os comentários estão encerrados.