O mercado português de pesados de mercadorias caiu 22% em Novembro e com isso voltou a baixar da linha de água (-2,2%) no acumulado do ano. A Scania mantém-se líder.

Scania mantém liderança na venda de camiões

Em Novembro, matricularam-se em Portugal 448 camiões, contra 574 um ano antes. A MAN foi a marca mais vendida, com 75 unidades matriculadas (+97,4%), à frente da Scania com 74 (-28%). O pódio mensal foi fechado pela Mercedes, com 66 matrículas (-45%).

No acumulado de Janeiro a Novembro, a queda de 2,2% representa 4 711 matrículas, contra as 4 815 do período homólogo de 2017.

Por marcas, a Scania comercializou 869 camiões (+13,3%), à frente da Mercedes, que é a segunda marca mais vendida, com 745 unidades (+12,7%). A terceira é a DAF, com 650 matrículas (+7,6%).

Seguem-se no ranking nacional a Renault Trucks (622 matrículas), Volvo (560), MAN (520), Iveco (434), Fuso (189), Isuzu (489), MAN-VW (8), Volkswagen (3), Fiat (2) e Opel (1).

Autocarros com forte subida

Ao invés, em relação ao mercado nacional de pesados de passageiros, em Novembro foram matriculadas 66 unidades, mais 230% do que as 20 do mês homólogo do ano passado.

A Mercedes, com 38 autocarros, liderou destacada, seguida pela MAN (14), Caetano (6), Iveco (5) e Renault (3).

No acumulado de Janeiro a Novembro, o mercado nacional cresceu 43,5% face ao mesmo período de 2017, com 478 vendas.

A MAN (183 matrículas, +210,2%) foi a marca mais vendida. Mercedes (106 unidades, +27,7%) e Iveco (57 matrículas, -3,4%) fecham o pódio.

Ligeiros também sobem

Foram vendidos em Portugal 3 803 comerciais ligeiros em Novembro, mais 5% do que no mesmo mês do ano passado. Por marcas, a Renault manteve a liderança mensal, com 849 unidades (+19,2%), seguida da Peugeot (743, +12,9%) e da Citroën (603, -1,6%).

No acumulado de Janeiro a Novembro, o mercado ascendeu a 35 270 veículos, o que representou uma subida de 3,9% face ao período homólogo de 2017.

A Renault manteve-se como marca mais vendida, com 7 406 unidades, mais 10,7% do que no mesmo período do ano passado. Seguiram-se-lhe a Peugeot e a Citroën, respectivamente com 6 111 (+7,9%) e 5 601 (+9,2%) unidades matriculadas.

 

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*