As vendas de pesados de mercadorias em Portugal interromperam em Setembro uma longa série de quebras sucessivas. No último mês matricularam-se 195 camiões, mais 15,4% do que há um ano.

A Renault Trucks liderou o mercado, com 71 matrículas (mais 223%), seguida da Mercedes, com 56 (mais 100%), da Volvo, com 24 (mais 26%) e da MAN, com 20 (mais 67%).

Ao invés, a DAF ficou em Setembro a zeros (e há um ano matriculou 30 unidades), a Iveco registou três apenas (mais 82%) e a Scania sete (menos 71%).

No balanço dos primeiros nove meses do ano, o mercado nacional de pesados de mercadorias recua 39,9%, para 1 319 veículos (2 913 no final de Setembro de 2011), e entre as principais marcas apenas a MAN cresce, mas apenas 1%, ou dois veículos.

Na frente, ainda que a perder 24% em termos homólogos, continua a Renault Trucks, destacada com 311 matrículas e uma quota de mercado de quase 24%. A Mercedes é segunda, com 215 unidades (menos 38%) e 16% de quota. A MAN é terceira, com 198 registos a 15% do mercado.

A Volvo está entre as marcas mais castigadas, com uma quebra homóloga de 50% para as 143 matrículas (11% do mercado). Seguem-se-lhe a Iveco, com 134 unidades (menos 18%) e 10% de quota; e a Scania, com 113 (menos 57%) e 9%. A DAF é quem mais perde – 74% – com 82 vendas e 6% do mercado.

Comments are closed.