Em Abril, venderam-se em Portugal 158 pesados de mercadorias. Há um ano foram 84. Desde o início do ano, a Volvo já matriculou 149 camiões. Nos mesmos quatro meses de 2012 foram 74.

E ao quarto mês, as vendas de camiões em Portugal despertaram. Em Abril, praticamente todas as marcas aumentaram significativamente os seus números, em termos comparativos. Por exemplo, a Iveco registou 15 veículos, contra um apenas há um ano. Um ganho de 1 400%. A Volvo cresceu 475%, de quatro para 23 vendas. A Renault cresceu 291%, de 11 para 43 matrículas. A Mercedes subiu 143%, de 14 para 34. E a MAN ainda progrediu 4%, de 23 para 24 pesados.

Ao invés, a Scania e a Toyota recuaram 33%, de nove para seis e de três para dois registos, respectivamente.

A DAF voltou a ficar a zeros em Abril, repetindo uma situação cada vez mais frequente mas que a representação da marca em Portugal se escusa a explicar.

Em termos acumulados, a Volvo continua a liderar o mercado nacional de camiões, com 149 registos (74 há um ano) e uma quota de mais de 25%. A Mercedes é segunda, e até está mais perto, agora com 108 matrículas (55) e mais de 18% de quota. Mais próxima está também a Renault Trucks, com 106 vendas (104) e 18% do mercado.

A MAN descolou do grupo da frente mas ganhou avanço sobre os perseguidores. Soma 78 matrículas (88) e detém 13% do mercado. Atrás vem a Scania, com 54 veículos (igual) e 9% do mercado. E mais atrás ainda surge a Iveco, com 39 matrículas (68) e quase 7% de quota.

No final de Abril, a DAF, que já foi líder de vendas em tempo não muito recuados, somava apenas nove matrículas. Melhor faziam a Toyota e a Mitsubishi, com 18 e 17, respectivamente.

Nos primeiros quatro meses do ano, venderam-se em Portugal 586 veículos de mercadorias de +3,5 toneladas. Um ganho de 6,4% relativamente aos 551 registos do período homólogo do ano passado.

Comments are closed.