Em Fevereiro, as matrículas de comerciais de +3,5 t cresceram apenas 2% na Europa e afundaram na Alemanha e em França. Por cá, o mercado avançou 38,6%.

Iveco

Não fossem os fortes crescimentos de mercados como a Holanda (mais 96,8% em Fevereiro), Espanha (mais 42,9%), Reino Unido (mais 30,5%) e Polónia (mais 10,4%) e o mercado europeu de veículos comerciais pesados (excepto autocarros) já estaria em recessão.

Isto porque os dois principais mercados – a Alemanha e a França – experimentaram em Fevereiro fortes quebra nas matrículas: menos 15,3%, de 6 932 para 5 868 e menos 17,2%, de 3 519 para 2 913, respectivamente.

O Reino Unido matriculou 1 844 camiões, a Polónia 1 566, a Espanha 1 422 e a Holanda 1 185. Juntos, os 28 atingiram os 21 048 veículos (20 631 há um ano).

Em Portugal, de acordo com os dados da ACEA, foram registados em Fevereiro 230 comerciais de +3,5 t (166 em Fevereiro de 2014).

No acumulado dos dois primeiros meses de 2015, o mercado europeu soma 43 541 matrículas, mais 4,4% que os 41 705 de 2014.

Entre os principais mercados, a Alemanha entrou no vermelho (-1,8%) e a França perde 19%.

A Holanda destaca-se pela positiva, a crescer 175,2% para 2 480 veículos, aproximando-se de Itália (que crescerá 1,9% para 2 577 matrículas), da Polónia (mais 0,7% e 2 678), de Espanha (mais 16,5% e 3 022) e do Reino Unido (mais 33% e 4 099).

Por cá, Janeiro e Fevereiro salda-se por um ganho homólogo de 25,5%, com um total de 575 pesados de mercadorias matriculados.

Comments are closed.