Em Setembro, venderam-se na UE 24 217 pesados de mercadorias. Menos 4 500 que no mesmo mês de 2011. Desde o início do ano, a quebra de vendas já supera os 7%, ou cerca de 17 mil veículos.

Em Setembro, Portugal foi dos poucos mercados a crescer, tendo as vendas de pesados de mercadorias subido 15% para as 194 unidades. Em alta estiveram também a República Checa, a Letónia, a Lituânia e a Eslováquia.

A Alemanha, o maior mercado europeu, caiu 20% em Setembro, com 7 214 vendas registadas. O mesmo aconteceu em França, que se ficou pelos 3 193 veículos. O Reino Unido, que durante muito tempo contrariou a tendência geral, quebrou 7% em Setembro, para os 4 269 veículos. A Holanda perdeu 13%, para as 1 103 unidades, e a Polónia 6% para as 1 494. Em Espanha, o mercado contraiu 31% ficando-se pelas 921 matrículas. A Itália afundou 34% para as 940.

No balanço dos primeiros nove meses do ano, o Reino Unido é o único dos grandes mercados ainda em terreno positivo, com um ganho acumulado de 11% para os 31 411 camiões. A Alemanha perde agora 8%, com 67 204; e a França 6%, com 34 659.

Em Espanha, as perdas acumuladas chegam aos 22% (8 885 registos). A Holanda recua 9% (9 127), a Polónia 2% (12 096) e Itália 31% (10 851).

Em Portugal, entre Janeiro e Setembro venderam-se 1 320 pesados de mercadorias, resultado que compara com os 2 191 de há um ano. A Grécia mantém o pior resultado entre os países comunitários com apenas 154 matrículas (há um ano eram 423).

Comments are closed.