As vendas de pesados de mercadorias na UE caíram para o vermelho em Fevereiro, arrastadas pelas quebras registadas na Alemanha, Itália e Espanha. Mas os recordes negativos pertenceram a Portugal e à Grécia.

Em Fevereiro, de acordo com os dados da ACEA, matricularam-se nos “27” 20 312 pesados de mercadorias (+3,5 toneladas), contra os 22 135 registados há um ano. E com isso, em termos acumulados o saldo é agora negativo em 1,8%, com 44 811 matrículas contra 45 613.

A Alemanha, o principal mercado europeu, registou em Fevereiro uma quebra de 15,6% no número de matrículas, ficando-se pelas 5 770. Em Itália ter-se-ão matriculado 1 281 camiões (menos 27,6%) e em Espanha foram 997 (menos 17,3%).

A quebra de vendas estendeu-se mesmo a alguns dos novos estados-membros. Com destaque para a Polónia, o maior entre eles, que cedeu 13,1% para as 1 149 unidades.

A crescer estiveram, sobretudo, a França (mais 4,5%, para 3 743 matrículas) e o Reino Unido (mais 24,5%, para 2 428).

Portugal e a Grécia destacaram-se com quebras homólogas de mais de 70%, tendo-se ficado, em Fevereiro, pelos 75 e 11 registos, respectivamente.

No acumulado dos dois primeiros meses, destacam-se o Reino Unido, com um ganho de 37,4% (com 5 862 matrículas), e a França, a crescer 5,5% para as 8 051 unidades. A Alemanha cede 9% (12 270) e Espanha quebra 16,7% (2 199).

A Grécia afunda 70,5%, com 26 pesados de mercadorias matriculados em dois meses. E Portugal cai 53,5%, com um registo de 289 camiões.

Comments are closed.