Depois de um Agosto em alta, as vendas de comerciais pesados em Portugal voltaram a “afundar” em Setembro, com uma quebra homóloga de 26%.

Em Setembro matricularam-se 313 pesados de mercadorias, volume que compara com as 422 unidades de há um ano.

No balanço dos três primeiros trimestres, o mercado nacional recua 16,2% em termos homólogos, com 2 199 veículos matriculados contra os 2 623 de há um ano.

A DAF retomou a liderança do mercado por troca com a Renault Trucks. A marca holandesa matriculou 84 veículos (92 em 2009) e soma agora 419 unidades, ao passo que a marca francesa se ficou pelos 64 registos no último mês (menos 45%) e soma agora 410. Todavia, enquanto a DAF continua a perder 17% em termos homólogos, a Renault está a crescer 24%.

Em Setembro a Volvo foi a marca com o melhor resultado relativo, a subir 10% para 44 matrículas. Com isso reforçou o terceiro lugar (300 unidades, menos 20% no year-to-date) mas está mais longe do topo.

A MAN e a Scania repetiram no mês os resultados de há um ano, com 20 e 34 matrículas respectivamente. Ambas ultrapassaram a Mitsubishi, com a vantagem de os suecos terem apanhado os alemães, somando agora 191 registos (menos 6% para a MAN, menos 3% para a Scania em termos homólogos).

A Mercedes e a Iveco são as marcas que mais perdem neste ano de 2010. A marca da estrela registou 26 veículos em Setembro (menos 21%) e acumula uma quebra de 27% (224 matrículas). Pior está a Iveco: no último mês “afundou” 76% e desde o início do ano perde 65%, com 131 matrículas, relativamente a um 2009 que foi muito bom para os italianos.

A Mitsubishi caiu 50% em Setembro, com 11 veículos, soma 189 desde Janeiro e caiu para o “vermelho” (menos 2%).

Os comentários estão encerrados.