A Veolia Environnement e a Caisse des Dépôts (CDC), que detêm em partes iguais a Veolia Transdev, chegaram a acordo sobre como iniciar o processo de desinvestimento da Veolia no operador de transportes públicos.

Em traços gerais, prevê-se que a Veolia Environnement reduza de 50% para 40% a sua posição no capital da operadora de transportes públicos, passando a CDC a deter 60% e assumindo em exclusivo a gestão da empresa.

A alteração nas posições relativas dos dois accionistas far-se-á no âmbito de um aumento de capital, de 800 milhões de euros, por conversão de empréstimos e suprimentos de ambos.

Antes, a Veolia Environnement adquirirá a participação de 66% que a Veolia Transdev detém na transportadora marítimo SNCM.

Depois do aumento do capital, a Veolia Transdev procederá à venda de alguns activos considerados não estratégicos e refinanciará a sua dívida. Objectivo: libertar meios para ir pagando os empréstimos concedidos pela Veolia Environnement.

A Veolia Environnement anunciou em Dezembro passado a intenção de alienar a sua posição de 50% na Veolia Transdev, para se concentrar nas suas actividades core e reduzir a dívida. A dispersão em Bolsa chegou a ser equacionada, mas foi afastada por causa da queda dos mercados.

Segundo o “Les Echos”, a operação agora anunciada deverá permitir retirar 900 milhões de euros de dívida do balanço da Veolia Environnement.

O acordo terá ainda de ser aprovado pelos órgãos competentes de ambas as sociedades e pelas autoridades da Concorrência.

A Veolia Transdev (criada na Primavera de 2001, em resultado da fusão das operações de transportes da CDC e da Veolia Environnement) é número dois em França, atrás da Keolis (SNCF).

Em Portugal, a empresa opera no transporte rodoviário de passageiros e já geriu a operação do Metro do Porto.

Os comentários estão encerrados.