É oficial. A Via Navegável do Douro tem a partir de hoje um Centro de Controlo instalado na Régua. A ministra do Mar presidiu à inauguração.

O novo centro,  assim como o plano de Gestão de Segurança e Emergência no Rio Douro, que está integrado no RIS — River Information Service, e que também hoje foi apresentado, inscrevem-se na segunda fase do projecto “Douro’s Inland Waterway 2020”.

Lançado em 2016, o projecto, com um orçamento total de 76 milhões de euros, já foi por duas vezes candidatado pela APDL ao CEF (Mecanismo Conectar Europa) e co-financiado por Bruxelas.

Mas a terceira candidatura, de longe a de maior montante, foi chumbada numa primeira chamada. Em causa está a modernização das eclusas e a regularização dos fundos do rio para permitir a navegação de mais e maiores navios até ao território espanhol.

A ministra Ana Paula Vitorino inaugurou também inaugurou a reabilitação do Cais da Régua, que representou um investimento de 513 mil euros. A beneficiação teve como objectivo melhorar a acessibilidade, a fruição local e os níveis de segurança e conforto, tanto no embarque como no desembarque de passageiros.

Mais-valias para as populações

“Eu tenho apresentado este projecto da Via Navegável do Douro em toda a parte do mundo e os operadores e as autoridades portuárias ficam deslumbradas”, contou a ministra do Mar, na sua intervenção, acrescentando, que, para além de dar orgulho, o projecto tem também de “dar mais-valias” ao território.

“Para que os habitantes do Peso da Régua e dos outros concelhos não estejam só a ver passar as embarcações, mas também sejam receptores de mais-valias desta actividade económica, que nós queremos que cresça, mas que cresça dando benefícios acrescidos às populações”, afirmou Ana Paula Vitorino.

Para isso, defendeu parcerias com os operadores privados, “não só os operadores que usam o rio, mas também tudo aquilo que é o tecido económico e empresarial que existe nesta região”.

No ano passado, pelo Douro Navegável passaram 52 mil toneladas de carga (mais 66% face a 2016) e 1,2 milhões de turistas (um recorde absoluto).

 

Os comentários estão encerrados.