Cerca de 400 mil euros é a factura a pagar pela APVC para repor os fundos no acesso ao porto de Viana do Castelo. Que em Abril registou um recorde de mais de 65 mil toneladas.

As dragagens em curso visam retirar 140 mil metros cúbicos de areias acmuladas na foz do rio Lima, no canal de acesso ao porto comercial. O assoreamento foi agravado pelas intempéries do final do ano passado, mas só agora a empreitada, considerada urgente, avançou. Deverá ficar concluída ao londo desta semana.

O assoreamento não impediu, todavia, que, só em Abril, 24 navios escalassem o porto de Viana, tendo movimentado mais de 65 mil toneladas. Um recorde para a história da APVC, fundada em 2009, avançou à “Lusa” uma fonta daquela administração portuária.

As cargas de exportação representaram cerca de 60% dos volumes movimentados, acrescentou a mesma fonte.

No ano passado, o porto de Viana do Castelo movimentou meio milhão de toneladas, sensivelmente o mesmo que em 2012, com o resultado final a ser prejudicado pela agitação marítima de Dezembro.

Para manter o rirmo de crescimento, a APVC estima que mais indústrias exportadoras se estabeleçam nos distritos de Viana do Castelo e Braga.

Por seu turno, ainda há cerca de duas semanas, os empresários do Alto Minho, reunidos na Associação Empresarial de Viana do Castelo e na Confederação Empresarial do Alto Minho, criticaram o Governo por não reservar “um euro para as acessibilidades ao porto de mar de Viana do Castelo” no PETI, referindo-se em particular aos acessos rodoviários ao porto.

Comments are closed.