A VIIA aumentou os volumes movimentados nas suas AE ferroviárias, mas ficou abaixo do previsto. A filial da SNCF Logistics espera melhor para este ano.

No ano passado, a VIIA movimentou 109 726 UTI, quase 3% mais que em 2018, apesar dos vários incidentes ocorridos nas suas auto-estradas (AE) ferroviárias.

Foram vários os eventos contrários à companhia no ano passado, desde um deslizamento de terras no Vale de Maurienne a um colapso de linha em Béziers, passando por agitações sociais que tiveram impacto na actividade a partir do início de Dezembro de 2019.

Mesmo neste cenário, o operador de AE ferroviárias do grupo SNCF logrou um crescimento de unidades de transporte intermodais (UTI) movimentadas. Thierry Le Guilloux, presidente da VIIA não se afirma, porém, satisfeito, dado que inicialmente esperava um “tráfego de 120 a 125 mil UTI”, ou seja, uma subida de 5% a 10% face a 2018.

A VIIA prevê agora retomar a normalidade em todos os seus serviços até ao fim de Março, assim como implementar novas rotações. É o caso de uma sexta rotação semanal no Bettembourg-Barcelona e de uma segunda frequência diária em Calais-Le Boulou, entre outros. Isso deverá permitir à companhia francesa regressar aos crescimentos a dois dígitos.

 

 

Comments are closed.