Novos serviços, mais vagões porta-semi-reboques, mais e melhores terminais. A VIIA, subsidiária da SNCF Logistics para as auto-estradas ferroviárias, acelera o ritmo de crescimento.

VIIA

Até meados de Janeiro do próximo ano, a rede de auto-estradas ferroviárias da VIIA deverá duplicar, de duas para quatro.

Já em Outubro, arrancará o serviço entre o porto de Sète e o terminal parisiense de Noisy-Le-Sec, numa parceria com a turca Ekol. Prevê-se a realização de duas ligações semanais, com comboios de 750 metros e capacidade para 2 000/2 100 toneladas. A Ekol garantirá a utilização de 80% da capacidade, ficando os restantes 20% por conta e risco da VIIA.

Para Janeiro, para 12 de Janeiro de 2016, anuncia-se o início da VIIA Britanica, que ligará o terminal de Le Boulou e o porto de Calais. Objectivo: servir um mercado potencial de 40 mil camiões/ano que circulam entre o Reino Únido e o Continente. Se tudo correr pelo melhor, a nova AE ferroviária poderá arrancar logo com duas ligações diárias.

Com estes dois novos serviços, a VIIA prevê chegar aos 150 mil-reboques/ano num horizonte de 18 meses. Em 2014 contabilizou 100 mil nas duas AE em operação: Bettembourg – Le Boulou e Aiton – Orbassano.

Para fazer face ao aumento da procura, a empresa está a investir este ano 40 milhões de euros na compra de 105 vagões da Lohr de transporte de semi-reboques e equaciona colocar uma nova encomenda de outros 25 no decurso de 2016.

Em simultâneo, modernizou o terminal de Boulon, prepara um terminal novo em Bettembourg para meados de 2016 e já em Outubro poderá estrear o terminal desenvolvido pelo porto de Calais.

A “manchar” este registo de sucesso fica apenas a desistência do projecto da VIIA Atlantique, que deveria ligar a fronteira norte de Espanha à região de Paris.

 

 

Comments are closed.