A Vimeca é o primeiro grupo privado a desistir de concorrer à subconcessão da STCP e da Metro do Porto. A Câmara da Invicta já havia tomado a mesma decisão.

“Apesar das alterações introduzidas pela tutela, entendemos que, mesmo assim, não se encontram reunidas as condições necessárias para participarmos no concurso do Porto”, disse Fernando Leal Ramos, gerente da Vimeca, citado pelo “DE”.

Em causa estará a rendibilidade da subconcessão, de acordo com as exigências e as contrapartidas previstas no caderno de encargos, entretanto alterados.

A Vimeca junta-se assim à Câmara Municipal do Porto, que também desistiu de avançar com uma proposta, depois de ter recebido um estudo que concluiu que só com despedimentos e com a degradação da oferta será possível garantir a rendibilidade da operação.

Foram seis os operadores a levantar o caderno de encargos para a subconcessão dos serviços da STCP e da Metro do Porto. Na corrida manter-se-ão, entre outros, os grupos Barraqueiro e Transdev.

Com o arrastar do concurso da subconcessão e o aproximar do final do ano, o Governo continua a negociar com a ViaPorto (Grupo Barraqueiro) a prorrogação do contrato de operação do Metro do Porto.

Mesmo desistindo do Porto, a Vimeca mntém o interesse de princípio nas subconcessões de Lisboa.

“Estamos optimistas quanto ao lançamento do concurso para as subconcessões dos transportes da Área Metropolitana de Lisboa, nomeadamente as do Metro e da Carris”, afirmou do “DE” Fernando Ramos.

Comments are closed.