A Waymo, filial da Alphabet (holding da Google), estuda comercializar a sua solução de condução autónoma com marcas de veículos de mercadorias.

“Podemos avançar muito mais rápido no transporte de mercadorias, onde as utilizações continuam estritamente comerciais e onde temos grande confiança na obtenção de resultados para os nossos parceiros comerciais”, afirmou, em conferência de imprensa, o CEO da Waymo, John Krafcik.

O executivo recordou que a companhia que lidera está a trabalhar em aplicações de camiões autónomos com modelos Peterbilt do grupo Paccar (a dona da DAF) na cidade de Atlanta (Geórgia, EUA), assim como em estradas públicas no Sudoeste dos Estados Unidos, com ensaios privados no Michigan.

A partir de agora, a subsidiária da Alphabet planeia comercializar a sua tecnologia no âmbito de um projecto chamado Husky. A Waymo pretende oferecer às marcas de camiões a possibilidade de venderem a condução autónoma como opcional dos seus modelos, sob a marca Waymo ou com a marca do fabricante. “Ambos [os cenários] seriam interessantes”, disse Krafcik.

Por enquanto, a Waymo anunciou a assinatura de acordos de desenvolvimento de veículos e serviços de condução autónoma com a aliança Renault-Nissan, bem como contratos para o uso de pequenos furgões fabricados pela Fiat Chrysler Automobiles e de unidades do modelo de passageiros Jaguar iPace para a sua frota de “robô-táxis”.

 

 

Comments are closed.